1. El Sueño"
    Franz Marc, 1912

     

  2. O raio sobre o lápis, Maria Gabriela Llansol


    V

    A conclusão de que não há abismo, e que a infância não

    pára de desenvolver-se e crescer,
    é um novo princípio de realidade, de morte, de velhice:
    eu não deixo de viver no mundo interior e exterior das
    metamorfoses flutuantes; é já dia, mas a noite que con-
    duz a esperança no pensamento, e sobre si própria, não
    acabou.
    Não acabou definitivamente;
    onde estará, protegendo-se da luz, o sapo que brilha?
    Eu tenho a intuição, Aramis, de que os monstros
    são as tentativas mais puras do Universo.
    «Olha-os, e não os mates.»
     

  3. Franz Marc
    "There Fell a Star" 1917

     

  4. Afro Basaldella

    Suonatore di mandolino, 1947

     


  5. Andres Segovia plays gigue from suite in A minor of Manuel Maria Ponce

     

  6. W.B. Yeats 
    ( 1865–1939 )  
    The Wind Among the Reeds.  
    1899. 
    Song of Wandering Aengus

     

  7. "Though I am old with wandering
    Through hollow lands and hilly lands,
    I will find out where she has gone
    And kiss her lips and take her hands;
    And walk among long dappled grass,
    And pluck till time and times are done
    The silver apples of the moon,
    The golden apples of the sun."
    — W. B. Yeats, The Wind Among the Reeds
     

  8. João Fahrion
    Painel decorativo, 1940.
    Guache sobre parede

     

  9. João Fahrion

    Pescaria 
    Óleo sobre tela

     

  10.  

  11. Diván de Tamarít
    Federico Garcia Lorca

     

  12. Gregorio (Gori) Muñoz
    Federico García Lorca - Poemas póstumos. Canciones musicales.
    Diván del Tamarít. 1945 

     

  13. Poemas póstumos

    Federico Garcia Lorca

     

  14. Gregorio (Gori) Muñoz
    Federico García Lorca - Poemas póstumos. Canciones musicales.
    Diván del Tamarít, 1945 

     

  15. Nu feminino - frente
    Enrico Bianco
    Guache s/ papel -  s.d